A Cadeia de valor do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais

A cadeia de valor do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais integra os eixos da gestão de fogo rural e de proteção de pessoas e bens.

<p>A Cadeia de valor do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais</p>

A Cadeia de valor do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais

As seis fases do sistema são:

Planeamento

  • Orientações estratégicas e planeamento integrado
    Princípios orientadores nacionais, que declinam para instrumentos de escala regional e local
  • Diretrizes Operacionais
    Operacionalização da estratégia nacional com as respetivas declinações a diferentes escalas
  • Orçamentação e financiamento
    Orçamento anual do sistema com atribuição de verbas por entidade e atividade a partir das diferentes fontes de financiamento

 

Prevenção

  • Gestão do território rural
    Ações que tornam o território preparado para o fogo, como gestão de combustível, redes de defesa, novas paisagens e práticas de valorização
  • Preparação do território edificado
    Criação e manutenção de boas práticas de defesa do edificado e aglomerados populacionais
  • Verificação de condições de segurança
    Verificação no terreno do estado de conservação e funcionamento de estruturas e equipamentos de proteção e supressão

 

Preparação

  • Comunicação integrada e Educação
    Educação para expansão do conhecimento. Sensibilização para modificação de comportamentos e adoção de medidas de autoproteção
  • Fiscalização
    Fiscalização do cumprimento das medidas de prevenção e sinalização central das situações de incumprimento

 

Pré-supressão

  • Análise de risco, aviso e alerta
    Análise dos parâmetros que determinam alteração da capacidade de resposta e notificação às populações, e que suportam a decisão operacional
  • Vigilância
    Mobilização de meios de vigilância e forças de segurança dissuasoras em áreas críticas
  • Pré-posicionamento
    Mobilização preventiva de meios de supressão e de socorro em áreas críticas

 

Supressão e Socorro

  • Ataque inicial
    Despacho de meios de reação rápida para supressão e socorro
  • Ataque ampliado
    Reforço de meios de supressão e socorro para incêndios que ultrapassam a capacidade inicial de resposta
  • Rescaldo e extinção
    Eliminação de pontos quentes para evitar reativações e reacendimentos. Declaração de extinção perante reduzida probabilidade de reacendimento
  • Restabelecimento de segurança
    Avaliação da segurança para retorno de populações deslocadas, reabertura de vias e reposição de outros serviços
  • Resposta em emergência social e ambiental
    Suporte a operacionais e populações afetadas, e intervenção ambiental de emergência

 

Pós-evento

  • Investigação de causas
    Apuramento da causa do incêndio
  • Recuperação
    Avaliação de danos e ações para recuperar e reabilitar o território. Reposição de redes e serviços
  • Melhoria contínua
    Identificação de debilidades e introdução de medidas corretivas no sistema

 

Os três capacitadores são:

  • Governança
  • Qualificação
  • Sistemas de Informação e Comunicação